Pensar a segurança de colaboradores, pacientes e familiares é uma preocupação recorrente para a direção do Hospital Estadual de Formosa (HEF), administrado pelo Instituto de Medicina, Estudos e Desenvolvimento (IMED). Por isso, na última quarta-feira (13), foi instaurada a primeira turma de brigadistas de incêndio e outras emergências do HEF em treinamento de oito horas com entrega de certificação.

Entre técnicos, enfermeiros e outros profissionais de saúde, o evento contou com a participação de 31 colaboradores em atividades divididas em quatro horas-aula de instrução teórica e mais quatro horas-aula de capacitação prática. O treinamento foi ministrado por empresa credenciada e homologada junto ao corpo de Bombeiros do estado de Goiás.

O curso oferecido aos colaboradores teve como objetivo principal formar brigadistas e, assim, garantir a segurança de todos em caso de acidente. Foram realizados dois simulados: o plano de evacuação (abandono do local em caso de necessidade) e o combate a princípio de incêndio.

Os brigadistas do HEF usarão camiseta vermelha com identificação frontal com nome e tipo sanguíneo, e nas costas as palavras Brigada de Incêndio. O voluntariado terá duração de um ano e a equipe atuará em todos os turnos, isto é, diurnos e noturnos contemplando assim todos os plantões com o maior número de voluntários.     

“Não podemos perder de vista que a brigada de incêndio também atende outras demandas da unidade. Portanto, é importante ressaltar que nossos voluntários estão prontos para agir em qualquer situação que coloque a segurança de qualquer um em risco”, explicou Vânia Fernandes, diretora do hospital.

Novas brigadistas

Para Chaene Dourado Santos, técnica de Enfermagem e voluntária da brigada, a expectativa com o treinamento foi a melhor possível. Além disso, a brigadista também revelou ter vivido uma de suas melhores experiências de vida ao participar do evento.

“Foi uma experiência incrível e vou levar para minha vida. Depois do treinamento cheguei em casa e já comecei a olhar a fiação elétrica e vou providenciar um extintor também”, contou Chaene.

Um ponto de extrema atenção em caso de incêndio é o plano de evacuação predial. Ele requer treinamento, liderança e um bom entrosamento entre todos os brigadistas. Por isso, este foi um momento que marcou positivamente Lidiane José Luiz, técnica de enfermagem e, agora, brigadista também. A técnica ressaltou a importância de manter a calma e se organizar.

“Este treinamento me mostrou detalhes que, em situações de estresse, passam despercebidos. Durante a simulação de evacuação foi enfatizado o quanto é importante estarmos organizados e calmos para ajudar no salvamento de vidas”, lembrou a nova brigadista.

A técnica de Segurança do Trabalho, Eleildes Gonçalves das Neves, que participou efetivamente dos dois turnos do treinamento, definiu este momento como necessário e inclusivo. Contudo, a técnica destacou também “que a nova equipe de brigadistas do HEF é unida e está pronta caso seja necessário atuar, pelos próximos 12 meses”.

Brigada de incêndio

Segundo estimativa da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (ANVISA), cerca de 3.200 casos de incêndios ocorrem todo ano em ambiente hospitalar. Por ser um local no qual há pessoas acamadas e, muitas vezes, impossibilitadas de andar sem auxílio de técnicos ou enfermeiros, ações preventivas da brigada de incêndio se tornam vitais durante incêndios.

A brigada de incêndio é essencial para conter o avanço do fogo quando se inicia o processo de combustão. Dessa maneira, os voluntários devem conhecer muito bem a planta do local, bem como ter conhecimentos práticos de como manipular ferramentas de auxílio à extinção das chamas, como por exemplo, os extintores.

Por outro lado, os brigadistas também são responsáveis pela inspeção e sinalização das rotas de fuga e equipamentos de combate a incêndio, primeiros socorros, treinamento de outros colaboradores e realização de simulados dentro do hospital.

Skip to content