Mesmo com todos os esforços centralizados no enfrentamento da Covid-19, o Hospital Regional de Formosa (HRF) continua investindo em obras de infraestrutura e qualidade no atendimento aos pacientes. Administrado pelo Instituto de Medicina, Estudos e Desenvolvimento (IMED), desde que foi estadualizado em maio de 2020, a unidade passou por importante modernização, tornando-se referência em atendimento de saúde na região.

As reformas físicas incluíram reparos hidráulicos e elétricos, troca da iluminação – com a substituição de 200 lâmpadas –, restauração de alas como o Pronto-Socorro Geral, ampliação do Pronto-Socorro Covid-19, novo aparelho de ultrassonografia, aparelhos de Raio-X, além da instalação de rede de gases medicinais canalizados e água potável, por meio de sistema de caixas d’água.

Com o mesmo emprenho, o hospital cuida para que seus funcionários estejam atualizados disponibilizando cursos e informações. O impacto dessas transformações pode ser contabilizado nos mais de 39.000 atendimentos (geral + Covid-19 realizadas). Destes, só pacientes Covid-19 atendidos foram 9.053 no período. “As reformas no HRF durante os últimos oito meses de gestão do IMED estão beneficiando os moradores da cidade e todos os pacientes que chegam via sistema de Regulação da Secretaria da Saúde do Estado” diz e Vânia Fernandes, diretora executiva do hospital.  

Capacitação interna

Atender os pacientes e oferecer tratamento de qualidade às mais diferentes enfermidades é um trabalho árduo que requer preparo e capacitação. Nos últimos meses, o Hospital Regional de Formosa reforçou ainda mais iniciativas que auxiliaram no desempenho dos colaboradores.

Dessa forma, unidade intensificou o cronograma de treinamentos internos. Em 2020, foram 3.289 horas de capacitação para enfermeiros, assistentes, farmacêuticos, anestesistas, ortopedistas e outros. Só no início de 2021, foram mais 325 horas de atualização para os profissionais.

A humanização no atendimento diminuiu a dor de familiares e pacientes em isolamento. Desse modo, na ala Covid-19 a equipe de psicólogas criou o projeto de visitas virtuais. Os pacientes conseguem conversar, por meio de chamada de vídeos por tablete ou celulares, com os familiares. A tecnologia foi uma aliada para diminuir a dor e o isolamento dos pacientes

Histórias de superação trouxeram esperança para todos, especialmente para os profissionais que se dedicam e lutam pela vida dos pacientes. Francisco Xavier da Cruz, 63 anos, foi um desses exemplos. Vítima do agravamento do coronavírus ficou entubado por 56 dias, mas conseguiu voltar para o convívio da família.

“Além de salvar vidas diariamente, nos esforçamos muito para ser um hospital de referência para a região e tenho certeza que as melhorias e, principalmente, nosso empenho refletem o nosso desejo”, afirma Felipe Uchôa, diretor técnico do HRF.

Leave a comment

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Skip to content