“A pandemia parou o mundo, mas a esperança não pode parar. Doe Sangue. Salve Vidas!” Este é o tema da campanha do Junho Vermelho. Ela beneficiará os pacientes internados nos hospitais e todas as unidades da Hemorrede Pública de Goiás. Dessa maneira, a ação, que vai até o dia 30 de junho, é uma realização da Associação Brasileira de Linfoma e Leucemia (Abrale) e a Associação Brasileira de Talassemia (Abrasta).

Segundo o Hemocentro de Goiás, a doação de sangue caiu cerca de 20% devido à pandemia. Portanto, essa campanha tem o objetivo de reduzir o déficit dos estoques em todo o estado de Goiás.

Doadores

Mas quem pode doar? Pessoas saudáveis, com idade entre 16 e 69 anos – quem tem menos de 18 anos precisa de autorização dos pais ou responsáveis e, aqueles que têm mais de 60 anos, precisam já ter realizado ao menos uma doação ao longo da vida.

De acordo com o Hemocentro, a doação de sangue é segura, e todo o ambiente é higienizado de acordo com as regras de segurança sanitária. Mas doador deve, antes de ir ao Hemocentro, agendar a doação de sangue por meio do site  https://agenda.hemocentro.org.br/ ou pelo telefone 0800 642 0457.

“A população é solidária e com a campanha do Junho Vermelho ressaltamos a importância da doação de sangue a pacientes com doenças crônicas ou acidentados. Para citar alguns exemplos, muitas vezes as pessoas dependem deste gesto para se recuperar”, afirmou o diretor do Instituto de Medicina, Estudos e Desenvolvimento (IMED), Getro de Oliveira Pádua, que comanda a gestão de quatro hospitais públicos no interior de Goiás.

A campanha foi tema da 41ª edição da “live” Amor Cantado – Acolhimento Musical –, um dos mais importantes projetos do IMED de conscientização e amparo emocional a pacientes e equipes médicas, transmitido para o Hospital Regional de Formosa (HRF), Hospital Regional de Luziânia (HRL), Hospital Regional de São Luís dos Montes Belos (HRSLMB) e Hospital de Urgência de Trindade (Hutrin). “Doar sangue é doar amor. Se puder faça essa boa ação”, disse o cantor e voluntário do projeto, Hercílio Ramos Júnior.

Leave a comment

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Skip to content